Tumblelog by Soup.io
Newer posts are loading.
You are at the newest post.
Click here to check if anything new just came in.
mariabeatrizdapaz

Bolos Se Tornam Um Empreendimento Cada vez mais Lucrativo O Dia

Cargos De Confiança São Porta Pra Entrar No Governo Sem Concurso


Rio - Um mês após expressar que a vereadora Marielle Franco (Psol) "estava engajada com bandidos", a desembargadora Marília Castro Neves publicou uma carta pedindo desculpas à vereadora, nesta quarta-feira. O texto é direcionado à professora Débora Seabra. No mês passado, a magistrada questionou como professores com Síndrome de Down poderiam ensinar em sala de aula.


Em conexão à vereadora, a magistrada pediu desculpas e admitiu que reproduziu as informações da Web sem verificar antes a veracidade. Na mesma carta, a desembargadora bem como argumentou o deputado federal Jean Wyllys (Psol). Numa publicação em rede social, ela havia afirmado que o parlamentar merecia ir para um paredão (de fuzilamento) "ainda que não valha a bala que o mata".


A respeito da artigo, pela data, Marília comentou que fez "uma ironia com o apoio declarado do deputado ao regime cubano" e que não defende "o paredão". Alckmin Sanciona Projeto De Lei Que Apresenta Bônus A Médicos De Hospitais De Periferia agradecer a carta que você me determinou e lhe falar que tuas frases me fizeram meditar muito. Bem mais do que as centenas de ataques que recebi nas últimas semanas.


Desculpe a demora pela resposta porém eu necessitava nesse tempo. Tenho sofrido muito desde que fui atropelada pela divulgação de comentários meus, postados em grupos privados - restritos a colegas da magistratura. No entanto uma pessoa resolveu torná-los públicos. Alguns haviam sido postados há tal tempo que eu nem sequer me lembrava deles. A repercussão foi imensa. Desde então decidi Governo Neste instante Prepara Plano Para Ensino Fundamental, Diz MinistroAcabou De Se Formar? , fui abraçada e pensei muito. Minhas posições pessoais jamais interferiram nas minhas decisões, conhecidas por serem técnicas e, desta forma mesmo, quase a toda a hora acompanhadas unanimemente pelos meus colegas de turma julgadora.


  • Quatro - Faça diversos exercícios e simulados
  • 4° Passo: Escreva resumos (de preferência à mão) de tudo o que estiver sendo lido e grifado
  • Permanecer agoniado ou nervoso com a prova antes mesmo dela ocorrer
  • Leandro Argumentou
  • Ricarso citou: 24/07/onze ás 23:45
  • quarenta quatrorze "Homem Mantido"

Hoje, não obstante, percebi que, ainda que meu organismo despe a toga, a mesma me acompanha aonde eu for. As opiniões pessoais de um magistrado, uma vez divulgadas, a toda a hora terão peso, insuficiente importando ao Tribunal das mídias sociais que tenham elas sido faladas em caráter público ou privado e que avaliação não seja sentença.


Magistrados bem como erram e, quando o fazem, incumbe-lhes desculparem-se. Esta carta é propriamente isto: um pedido de perdão. Perdão, Débora, por ter julgado, há 3 anos atrás, ao ouvir de relance, no rádio do veículo, uma notícia na Voz do Brasil, que uma professora portadora de Síndrome de Down seria incapaz de explicar. Você me provou o contrário.



Aproveito o ensejo para assim como me desculpar à memória da vereadora Marielle Franco por ter reproduzido, sem verificar a veracidade, sugestões que circulavam na web. No afã de rebater insinuações, também sem provas, pela rede social de um colega aposentado, de que os autores seriam policiais militares ou soldados do Exército, perdi a chance de permanecer calada. Leia A Transcrição Da Entrevista De Eduardo Campos à Folha E Ao UOL de fake news precisamos ser cuidadosos. Estendo esta reflexão ao deputado Jean Wyllys. Sempre me oporei às suas idéias e às do PSOL, nada mudará isso, entretanto é evidente que não desejo mal à ninguém.


Don't be the product, buy the product!

Schweinderl